3.1.10

Deita-se num copo minúsculas constelações

Deita-se num copo minúsculas constelações
uma língua verde purpúrea ou dourada
e talvez um lábio com uma sílaba retida
Pode-se ainda acrescentar o sémen de um adolescente
um pedaço de incandescente carvão
uma pálpebra azul ou uma amendoa verde
um pequeno feixe de trigo um umbigo róseo
um peixe bizarro uma lãmina transparente
uma solitária estrela de musgo
a saliva de dois amantes entre um cavalo negro e outro branco
as estrilhas de um cálice cristalino
Tremos por fim fabricado uma lâmpada
e nunca mais nos lembraremos da imaginada matéria
que a torna incandescente e luminosa

Sem comentários:

fotografia e selecção de poemas de João Silva