2.8.11

Todas as coisas têm um espaço mas quais os laços

Todas as coisas têm um espaço mas quais os laços
que as sustêm? Quando morremos
faltará entre elas algum nexo cintilará nelas alguma sombra
ou tornar-se-ão póstumas e arcaicas irrevogavelmente derradeiras?

Nós vemos as coisas e não sabemos o que são
porque mesmo ignorando-as nos são familiares
Vivemos no seu espaço que é mais nosso do que delas
mas não terão também elas o anseio de saírem do seu circulo tenso?

Escrevemos para criar um suporte na distancia
e não no espaço das coisas Quando detemos o olhar
num objecto às vezes dir-se-ia que nos pertence
e que nos oferece um momentâneo ponto de apoio

Mas escrever será mais do que estremecer num incessante apelo
para que as palavras movam a nossa ansiedade
e desloquem um pouco para o corpo dos nossos gestos
e sintamos o fremente simulacro da terra?

Sem comentários:

fotografia e selecção de poemas de João Silva